Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Semana Nacional de C&T

A “VI Semana Nacional de Ciência e Tecnologia” foi aberta nesta segunda-feira (19/10), na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, em cerimônia presidida pelo ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende. Durante a abertura, o ministro disse que “Sem ciência e tecnologia distribuídas em todo o Brasil não conseguiremos dar o salto e mudar o ritmo de crescimento econômico e social”. O tema desta edição, que vai até domingo (25/10) é “A Ciência no Brasil”.

O evento mobiliza instituições de pesquisa e ensino de todo o país em exposições e debates gratuitos. Feiras de ciência em praças públicas, concursos, oficinas e palestras, visitas de pesquisadores às escolas, jornadas de iniciação científica, distribuição de cartilhas de divulgação científica e exibição de filmes e vídeos sobre assuntos relacionados com a ciência integram o calendário de atividades. São mais de 15 mil atividades, realizadas por todo o país. Veja a programação completa .

O objetivo da SNCT é despertar a atenção dos brasileiros para a ciência e tecnologia. O principal público-alvo são as crianças e os jovens, mas a Semana pretende apresentar para a população, em geral, um panorama das pesquisas científicas realizadas em todos os estados.

Escolha do Tema

A escolha do tema desta edição, “A Ciência no Brasil” foi inspirada por pesquisa do Ministério de Ciência e Tecnologia (MCT), realizada em 2006 e 2007, que constatou o desconhecimento de cientistas e instituições de pesquisa importantes no país pela maioria dos brasileiros: 85% das pessoas entrevistadas não souberam citar nomes dessa área.

Outro motivo é 2009 ser o ano de comemoração de dois importantes marcos científicos nacionais: a construção do primeiro balão brasileiro de ar quente, por Bartolomeu de Gusmão, e o centenário da descoberta da doença de Chagas, por Carlos Chagas.

A Semana Nacional de Ciência e Tecnologia acontece, anualmente, sempre em outubro, desde 2004, quando foi criada por decreto. Na primeira edição, 257 instituições, distribuídas por 252 municípios do país, promoveram 1.848 atividades. Já no ano passado, a Semana incluiu 10.859 eventos, promovidos por 755 instituições em 445 cidades – um crescimento de 487% em cinco anos.

Prêmio Destaque do Ano na Iniciação Científica

O CNPq entregou o “Prêmio Destaque do Ano na Iniciação Científica” na abertura da Semana. Os três primeiros colocados de cada grande área foram contemplados pela categoria Bolsista de Iniciação Científica, além da Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF), agraciada na categoria Mérito Institucional.

A premiação é um reconhecimento aos trabalhos de destaque realizados por bolsistas de Iniciação Científica do CNPq e às instituições participantes do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC). Pela primeira vez, o Prêmio contou com a parceria da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC).

Durante a premiação, o presidente do CNPq, Marco Antonio Zago, disse que o Conselho apóia numerosas iniciativas que visam à educação e divulgação da Ciência, mas que sua ação mais emblemática nesse sentido é o Programa de Iniciação Científica: “por meio deste programa os alunos de graduação recebem bolsas para realizar projetos de pesquisa sob a orientação de pesquisadores experientes. Iniciado há mais de 50 anos, hoje o Programa abriga mais de 26 mil bolsistas em todas as unidades da federação”.

Nesta edição foram inscritos 119 trabalhos. Desses, 104 foram avaliados, 31 da área de Ciências Exatas, da Terra e das Engenharias; 36 de Ciências Humanas e Sociais, Letras e Artes; e 37 de Ciências da Vida. Participaram 62 instituições, sendo 52 de ensino superior e 10 institutos de pesquisa.

Foram esses os premiados:

Ciências da Vida

1 º lugar: Anderson Guimarães Baptista Costa , aluno e bolsista da Universidade Federal do Rio de Janeiro, tendo como orientadora a Profª Elvira Saraiva com o trabalho “Promastigotas de Leishmania amazonensis induzem e são mortas pelas redes extracelulares de neutrófilos”.

2 º lugar: Bárbara Celeste Messa , bolsista do Instituto de Botânica de São Paulo e aluna do Centro Universitário São Camilo (SP), tendo como orientadora a Profª. Marília Gaspar, com o trabalho “Alterações fisiológicas e metabólicas em plantas de Arabidopsis thaliana L . com baixa atividade de nitrato redutase em resposta a altas concentrações de CO2 atmosférico”.

3 º lugar: Gabriela da Silva Machineski , bolsista do Instituto Agronômico do Paraná e aluna da Universidade Estadual de Londrina, tendo como orientadora a Profª Diva de Souza Andrade, com o trabalho “Caracterização, Competição e Diversidade de Estirpes de Rizóbio em Feijoeiro”.

Ciências Exatas, da Terra e Engenharias

1 º lugar: Izabella Antunes Pimenta , bolsista da Comissão Nacional de Energia Nuclear e aluna da Universidade Federal de Minas Gerais, tendo como orientadora a Profª Edésia Martins Barros de Sousa, com o trabalho “Síntese de Redes Interpenetrantes de Gel Polimérico em Sílica Nanoporosa Estruturalmente Ordenada para Bioaplicação”.

2 º lugar: Jorge Armando Rehn Casierra , aluno e bolsista da Universidade Federal de Pernambuco, tendo como orientador o Prof. Mauricio Domingues Coutinho Filho, com o trabalho “Abordagem Topológica de Transições de Fase no Modelo de Ising”.

3 º lugar: William Leonardo Teixeira da Silva , aluno e bolsista da Universidade de Santa Cruz do Sul, tendo como orientadora a Profª Rosana de Cássia de Souza Schneider, com o trabalho “Oleoquímica: produção, extração, caracterização e transformação de óleos vegetais com ênfase na obtenção de biodiesel e aproveitamento de subprodutos”.

Ciências Humanas e Sociais, Letras e Artes

1 º lugar: Meire Helen Godoi de Moraes, aluna e bolsista da Universidade Estadual Paulista, tendo como orientadora a Profª Maria do Rosária F. V. Gregolin, com o trabalho “Diferentes mídias em parceria e cooperação: grandes produtoras de identidades contemporâneas”.

2 º lugar: Bárbara Figueiredo Souto, aluna e bolsista da Universidade Federal de Viçosa, tendo como orientador o Prof. Jonas Marçal de Queiroz, com o trabalho “O movimento feminista e as representações sobre as mulheres na imprensa de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro (1870-1925)”.

3 º lugar: Francemberg Teixeira Reis, aluno e bolsista da Universidade Estadual de Feira de Santana, tendo como orientadora a Profª Lucilene Reginaldo, com o trabalho “Organização de um acervo judiciário: os inventários como fonte para a história social de Feira de Santana (1890-1960)”.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment