Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Medicina da Unig

Por uma decisão do TRF – RJ (Tribunal Regional Federal do Rio de Janerio), foi concedido ao MEC ganho de causa em ação civil pública contra a Universidade Iguaçu, com sede em Nova Iguaçu (RJ) e reconhecida a competência do ministério na supervisão de cursos superiores.

Para garantir que a ordem referente à medida cautelar determinada pela Secretaria de Educação Superior (Sesu) do MEC fosse cumprida, a Advocacia Geral da União (AGU) ajuizou ação civil pública, impedindo o ingresso de novos alunos através do vestibular, processos seletivos ou transferência no curso de medicina. A suspensão deverá ser estendida por 12 meses ou até que sejam tomadas as devidas providências em relação às deficiências verificadas pela Comissão de Supervisão do MEC.

A instituição foi informada pela comissão de supervisão de que não poderia receber novos estudantes até fazer os ajustes para corrigir as deficiências. Ainda assim, a Universidade Iguaçu realizou o processo do vestibular 2009. O curso de Medicina da Unig e de mais 16 instituições, foram considerados insatisfatórios ao Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) e no Indicador de Diferença entre os Desempenhos Observado e Esperado (IDD).

O Desembargador Federal Guilherme Couto de Castro confirma a decisão liminar proferida pelo Juízo de 1º grau que determinou a suspensão de todos os efeitos do vestibular 2009 do curso de medicina da Unig. Segundo o desembargador, há graves suspeitas de que a instituição educacional esteja funcionando em condições precárias, estando prestes a oferecer um curso que não atende as determinações do Ministério da Educação, o que pode gerar sérios e incomensuráveis prejuízos para toda a comunidade.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment