Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Gama Filho e UniverCidade são descrendenciadas pelo MEC

P { margin-bottom: 0.21cm; direction: ltr; color: rgb(0, 0, 0); widows: 2; orphans: 2; }P.western { }A:link { color: rgb(0, 0, 255); }

O Ministério da Educação e Cultura (MEC) divulgou no dia 14 de janeiro, o descredenciamento de duas instituições do Estado do Rio de Janeiro: a Universidade Gama Filho e o Centro Universitário da Cidade.

O motivo do descredenciamento foi o não cumprimento de um acordo feito em 2013, por causa das irregularidades constatadas.

Nos últimos anos o MEC constatou baixa qualidade acadêmica e um grande comprometimento financeiro em ambas. O corpo docente estava com muitos salários atrasados. Diante disso, o MEC e as duas instituições formalizaram um acordo onde ambas se comprometeram tomar as medidas necessárias para sanar os problemas apresentados.

Em 2013, mesmo as instituições tentando colocar em prática o acordo firmado com o MEC, não conseguiu tirar o atraso dos pagamentos de docentes e funcionários, não havendo, portanto, condições para a continuidade de funcionamento da instituição. Então o MEC, através de medida cautelar, suspendeu o ingresso de novos alunos a partir de agosto deste mesmo ano.

Em outubro de 2013, a mantenedora das instituições, o Grupo Galileo, firmou mais um acordo com o MEC para garantir a normalidade administrativa e acadêmica. Em seguida, periodicamente até o mês seguinte (novembro), o MEC enviou equipe aos locais para visita de monitoramento, a fim de averiguar se o acordo estava sendo cumprido. Foi constatado que as instituições não estavam cumprindo as normas estabelecidas pelo órgão, principalmente aquelas que se referiam à captação de recursos que daria possibilidade da restauração das instituições. Isso reinstalou a crise e por esta razão, em virtude do MEC considerar que esses problemas colocariam em risco a formação dos estudantes, o órgão governamental decidiu tomar medidas cautelares, impedindo o ingresso de novos alunos, de novos contratos de financiamento estudantil (Fies) e de bolsas do Programa Universidade para Todos (Prouni), e ainda restringiu a participação no Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

O Grupo Galileo irá recorrer e há um grupo de alunos dirigindo-se à Brasília.

Aos alunos das duas instituições resta aguardar outras medidas do MEC a fim de transferi-los para outras escolas podendo assim dar continuidades aos seus cursos (Transferência Assistida).

Para saber mais sobre isso, acesse a página do SERES (Secretaria de Regularização e Supervisão de Educação Superior).

Show CommentsClose Comments