Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Fórum Mundial de Educação

 

Nesta segunda-feira (26/01, a partir das 9h30), começa o “Fórum Mundial da Educação” (FME), em Belém, no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, com mais de 9 mil educadores de todo o mundo. São dois dias de debates, com a presença de 160 ministros de educação de diversos países. Simultaneamente, ocorre o Fórum Social Mundial (FSM).

Participam delegações de diversos países, entre eles Argentina, Uruguai, Paraguai, Bolívia, Chile, México, Canadá, Espanha, França, Itália, Portugal e África do Sul. Além de representantes do Ministério da Educação (MEC) e da Organização das Nações Unidas para Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

O fórum será composto de conferências proferidas por especialistas indicados pelas instituições participantes. Haverá ainda debates temáticos e apresentação de trabalhos científicos, relatos de projetos e de pesquisas. Atividades autogestionadas também serão trabalhadas durante a programação, a fim de permitir reflexões conjuntas.

No primeiro dia de debates, O FME terá a participação do teólogo Leonardo Boff, da senadora Marina Silva, do professor da Universidade de São Paulo e diretor do Instituto Paulo Freire, Moacir Gadotti, e da diretora da União Nacional dos Estudantes (UNE) e membro da Organização Continental Latino-Americana e Caribenha dos Estudantes (OCLAE), Lúcia Stumpf, que já confirmaram presença na conferência “Educação, Transgressão e Construção da Cidadania Planetária”, de 10 às 12 horas.

A programação da tarde foi dividida em plenárias, que enfocarão os temas “Educação, desenvolvimento e economia solidária; “Educação cidadã e ética planetária: inclusão e diversidade”; “Educação, direitos humanos, cooperação e cultura de paz”; “Educação, meio ambiente e sustentabilidade”; “Educação de jovens e adultos na perspectiva da educação popular”; e “Educação emancipatória no contexto da comunicação e das tecnologias”.

A programação do FME se encerra no dia 27 com a conferência “Educação, diálogo e utopia: identidades e interculturalidade”, socialização dos debates nas plenárias dos eixos temáticos e um painel sobre a Conferência Internacional da Unesco em Educação de Adultos (Confintea), a ser realizada em Belém, em maio próximo.

Apoiado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Educação, o fórum é considerado um espaço estruturado, que permitirá o encontro e o diálogo, onde partidos, governos, empresas e movimentos sociais são convidados a participar numa causa comum, em favor dos grupos desfavorecidos, cujo lema é: “um outro mundo é possível”.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment